Chapadão do Sul, 28 de Julho de 2017

Cadastre-se Envie sua notícia JNT Digital Busca no site

Jovem Sul News

Você está em: Página Inicial Saude

Lotado, pronto-socorro está 500% acima de sua capacidade e atende no corredor

Lotado, pronto-socorro está 500% acima de sua capacidade e atende no corredor

Há 48 pacientes no corredor do pronto-socorro

14:48 | 16 março 2017
 

O Hospital Universitário de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande, ficou fechado por cinco dias, tempo suficiente para que os corredores da Santa Casa voltassem a ficar lotados de macas e pacientes à espera de atendimento. De acordo com a instituição, há 500% de pacientes a mais que a capacidade do hospital.

Há 48 pacientes somente no corredor do pronto-socorro, que segundo o hospital são considerados sem gravidade. Para este setor são disponibilizados somente 12 leitos, portanto, 60 pessoas encontram-se neste setor. Nas macas espalhadas pelo corredor, os pacientes deveriam permanecer por, no máximo 12 horas, mas muitos estão sem previsão de transferência, e permanência pode ser de dias.

Em torno de 188 pacientes são atendidos diariamente no pronto-socorro. Em dias de crise, o número cresce e no último final de semana subiu para 287. E não é apenas o pronto-socorro que passa por superlotação, a emergência vermelha apresenta 166% a mais de pacientes do que comporta. Já o setor de ortopedia está 271% acima de sua capacidade de atendimento.

Do lado de fora, a espera é longa. Para quem procura atendimento e espera por pacientes. “Estou aqui há desde a madrugada com meu pai. O caso dele foi considerado de urgência, mas até agora não tiraram ele do corredor. Ele já é de idade”, lamentou a dona de casa Angelita Santos, que acompanha o pai desde às duas horas desta quinta-feira.

Para a Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), mantenedora da Santa Casa, um dos fatores encontrados para a superlotação é fechamento temporário do HU – que teve o seu Pronto Atendimento Médico suspenso por falta de recursos na sexta-feira passada, dia 10 de março. Com isso, os pacientes teriam migrado para o hospital, em vez de procurar postos de saúde, que também sofrem com a alta procura.

No final de semana que o hospital esteve fechado, o movimento na Santa Casa foi 10% maior na comparação com os outros dias. Em três dias 862 pessoas foram atendidas no local, enquanto a média em dias considerados normais é 780, portanto, aumento de 10,5% após um dia do anúncio do fechamento do HU.

Reabertura do Universitário

O problema começou a ser revolvido ontem. A Prefeitura de Campo Grande compactuou ontem, 15, um novo convênio com o hospital, e elevou o repasse mensal para R$ 1 milhão, sendo R$ 700 mil do município e R$ 300 mil por parte do governo estadual. Mas por ser recente, o fechamento continua gerando superlotação na Santa Casa.

O hospital informou por meio de sua assessoria de imprensa que, os casos mais comuns recebidos nos últimos dias são justamente aqueles em que o HU é considerado referência, como cardiologia. Outro ponto discutido é o trauma, que era compartilhado com o Universitário. No ano passado, um acordo entre os dois hospitais definiu que 12,5% dos pacientes seriam regulamentados e encaminhados ao HU.

Fonte: Midiamax

Jovemsulnews/ Mirian Oliveira

Postado em: 14:48 | 16 março 2017
 
É permitida a reprodução ou divulgação, em outros órgãos de comunicação, de notícias ou artigos publicados nesta website, desde que expressamente citada a fonte, ficando aquele que desatender a esta determinação sujeito às sanções previstas na Lei nº 5.259/1967 (Lei de Imprensa) feed
Jovem Sul Comunicações LTDA | Rua Quinze, Nº 537 | Centro | CEP 79560-000 | Chapadão do Sul (MS)
(67) 3562-2500 (67) 9967-0034 | CNPJ 03.719.704/0001-07
Desenvolvido por: Mais Empresas | Angeli Comunicações