Chapadão do Sul, 24 de Maio de 2019

Cadastre-se Envie sua notícia JNT Digital Busca no site

Jovem Sul News

Você está em: Página Inicial Saude

Com novas viaturas, Samu aumenta atendimento em 23%

Com novas viaturas, Samu aumenta atendimento em 23%

Três novos veículos começaram a operar há pouco mais de uma semana

9:34 | 11 maio 2019
 

Veículos chegam a circular 4,5 mil quilômetros por dia – Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Funcionando há pouco mais de uma semana com três novas viaturas, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) aumentou em 23% o número de atendimentos realizados por dia em Campo Grande. De acordo com a coordenadora do serviço, Maithê Vendas Galhardo, no ano passado a média de solicitações das equipes de socorristas era de 93 por dia e passou para 115 neste ano.

Além das três viaturas entregues pelo Ministério da Saúde, a Sesau (Secretário Municipal de Saúde) recebeu, em janeiro, outras quatro ambulâncias, sendo duas com recursos próprios do município e outras duas com verba de emendas parlamentares do então deputado, agora ministro da Saúde, Luis Henrique Mandetta. Para o município o desembolso foi de R$ 2.230.830.

Conforme a coordenadora do Samu, atualmente, o município opera com 15 ambulâncias do Samu. No passado, ela chegou a denunciar que nove dos 12 carros que atendiam a Capital teriam de ser descartadas devido às más condições para uso. O caso chegou a ser investigado pela 32ª Promotoria de Justiça de Saúde Pública do MPE (Ministério Público Estadual).

Para evitar que a situação fique novamente alarmante, a coordenadora do Samu afirma que na próxima segunda-feira será realizada reunião com o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, para debater o encerramento do contrato para manutenção das ambulâncias, em outubro deste ano. “Queremos que esse processo desburocratize”, explicou Marithê.

RENTENÇÃO

Mesmo com a ampliação da frota, o serviço ainda enfrenta dificuldades devido a retenção de macas pelas unidades de saúde. “É um problema que não atinge somente o Samu, mas também as unidades de resgate do Corpo de Bombeiros”, alerta a Marithê. O problema ocorre devido a falta de leitos nos hospitais. Sem ter onde ser alocados, muitos pacientes da urgência e emergência acabam tendo de esperar atendimento nas macas do Samu.

Fonte: correiodoestado

Postado em: 9:34 | 11 maio 2019
 
É permitida a reprodução ou divulgação, em outros órgãos de comunicação, de notícias ou artigos publicados nesta website, desde que expressamente citada a fonte, ficando aquele que desatender a esta determinação sujeito às sanções previstas na Lei nº 5.259/1967 (Lei de Imprensa) feed
Jovem Sul Comunicações LTDA | Rua Quinze, Nº 537 | Centro | CEP 79560-000 | Chapadão do Sul (MS)
(67) 3562-2500 (67) 9 9967-0034 | CNPJ 03.719.704/0001-07
Desenvolvido por: Mais Empresas | Angeli Comunicações