Chapadão do Sul, 24 de Setembro de 2018

Cadastre-se Envie sua notícia JNT Digital Busca no site

Jovem Sul News

Você está em: Página Inicial Policia

Mais três pessoas de Chapadão do Sul, acusadas na Operação Grãos de Ouro são liberadas

Mais três pessoas de Chapadão do Sul, acusadas na Operação Grãos de Ouro são liberadas

9:27 | 13 setembro 2018
 

Nesta quarta-feira mais três pessoas de Chapadão do Sul, que estavam presas em Campo Grande, acusadas de participação em esquema de desvio de ICMS foram libertadas através de Habeas Corpus, concedida pelo Tribunal Regional de Justiça.

Cinquenta e oito pessoas foram denunciadas à Justiça na operação batizada de Grãos de Ouro. A ação, realizada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) em 8 de agosto.

De Chapadão do Sul foram detidas nove pessoas, das quais e depois, o MPE, Ministério Público Estadual pediu a prisão de mais sete pessoas, das quais, mais três de Chapadão do Sul.

Os advogados de defesa trabalham intensamente no caso e já conseguiram a liberdade de cinco pessoas, duas no dia 30 de agosto e nesta quarta-feira (12) mais três; Luiz Henrique, Paulo Graciano e Serafim.

Um dos advogados de defesa disse que percebe versão unilateral do órgão acusatório, Já outra defesa alega que quando os promotores do Gaeco ajuizaram uma ação cautelar criminal, eles, promotores demonstrando que não conhecem a geografia do estado de Mato Grosso do Sul se equivocaram em relação a filial de empresa localizada na Região do Baús, Município de Costa Rica, que pertence a MS e não a Goiás, alega a defesa.

“Não tem eles, promotores, conhecimento de que a empresa armazéns gerais, quando recebe o produto, recebe com nota fiscal para depósito e quando o produtor comercializa este produto, a empresa emite nota fiscal de devolução para o produtor e este emite nota fiscal de venda para o comprador. A participação da empresa tão somente se resume em receber o produto e entregar o mesmo para quem for autorizado pelo produtor”, relata um advogado.

As investigações chegaram a empresas acusadas de serem noteiras, para “esquentar”, ou tornar legal a transação que culmina na sonegação de ICMS.

Fonte: Jovemsulnews (Norbertino Angeli)

Postado em: 9:27 | 13 setembro 2018
 
É permitida a reprodução ou divulgação, em outros órgãos de comunicação, de notícias ou artigos publicados nesta website, desde que expressamente citada a fonte, ficando aquele que desatender a esta determinação sujeito às sanções previstas na Lei nº 5.259/1967 (Lei de Imprensa) feed
Jovem Sul Comunicações LTDA | Rua Quinze, Nº 537 | Centro | CEP 79560-000 | Chapadão do Sul (MS)
(67) 3562-2500 (67) 9 9967-0034 | CNPJ 03.719.704/0001-07
Desenvolvido por: Mais Empresas | Angeli Comunicações