Chapadão do Sul, 19 de Setembro de 2019

Cadastre-se Envie sua notícia JNT Digital Busca no site

Jovem Sul News

Você está em: Página Inicial Gerais

Reinaldo Azambuja decreta situação de emergência devido à alta incidência de queimadas em MS

Reinaldo Azambuja decreta situação de emergência devido à alta incidência de queimadas em MS

19:05 | 11 setembro 2019
 

Jaime Verruck explica as medidas que o Estado vem tomando para controlar as queimadas. Foto: Saul Schramm

Decreto assinado pelo governador Reinaldo Azambuja, a ser publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) nesta quinta-feira (12), declara situação de emergência em Mato Grosso do Sul em razão da alta incidência de focos de queimadas, com impactos ambientais, de saúde e econômicos.

Mais de 1 milhão de hectares já foram destruídos pelo fogo este ano, segundo levantamento do Ibama (Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), e as previsões de manutenção de um ambiente de alto risco em função da estiagem prolongada e baixa umidade levaram o Governo do Estado a tomar a medida extrema.

A decretação da situação de emergência foi comunicada pelo secretário Jaime Verruck, da Semagro (secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), na manhã desta quarta-feira, após se reunir com o governador Reinaldo Azambuja.

“Foi tomada uma decisão técnica, em razão de uma situação crítica, onde o número de focos, que vinha se mantendo dentro de uma média, sofreu uma alteração drástica nos últimos dias e o fogo se expandiu, com impactos diretos no meio ambiente, na saúde da população e na produção”, explicou Verruck.

Apoio do Exército

O secretário informou que, além desta medida, o Governo do Estado monitora os focos de calor, com sobrevoos nas áreas mais críticas, enquanto o Corpo de Bombeiros está em alerta máximo e montou uma escala operacional de combate ao fogo, envolvendo 56 militares de folga e do setor administrativo, além dos 200 homens já em operação.

Com o decreto, segundo o secretário, o Governo do Estado busca apoio junto ao Ministério da Integração Regional e ao Exército em infraestrutura para aumentar as ações de combate aos incêndios florestais, como a disponibilidade de aeronaves e brigadistas.

“A situação tende a piorar, com a onda de calor e a baixa umidade, e a população precisa ficar alertar, não queimar, e denunciar imediatamente aos órgãos competentes, como a Polícia Ambiental e o Corpo de Bombeiros, algum foco de calor para uma ação simultânea de combate”, alertou o secretário.

Verruck adiantou, durante entrevista coletiva na Sala de Situação Integrada, instalada desde agosto na Cedec (Coordenadoria de Defesa Civil do Estado), que o Estado solicitou também apoio operacional das entidades ligadas ao agronegócio e ao setor de celulose, os quais contam com estrutura de combate ao fogo.

Fogo criminoso

O presidente da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de MS), Maurício Sato, participou da entrevista e parabenizou o Governo do Estado pela decretação de situação de emergência e pelo trabalho de prevenção que está sendo realizado com a coordenação da Defesa Civil.

“Existe um prognóstico climático desfavorável e o monitoramento do Estado é fundamental”, disse o dirigente rural, acrescentando que a ausência de chuvas e a onda de calor de alto risco devem influenciar no atraso do plantio da próxima safra de soja.

Conforme levantamentos da Defesa Civil do Estado, o volume de focos de calor aumentou em 300% nos últimos três meses e o mês de setembro já supera as médias históricas, gerando um ambiente de alta combustão e crítico, com o registro de 397 pontos de fogo nas últimas 48 horas, a maioria no Pantanal.

“Mais de 90% são queimadas criminosas”, apontou o secretário Jaime Verruck, lembrando que desde 2014 vigora uma resolução conjunta do Estado com o Ibama, que proíbe a queima controlada em Mato Grosso do Sul, de 1º de agosto a 30 de setembro, estendendo-se até 31 de outubro na região do Pantanal.

Presentes à entrevista coletiva o Chefe do Estado Maior do Corpo de Bombeiros, coronel Edson Zanlucas; o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Fábio Catarinelli; Franciene Rodrigues, coordenadora do Centro de Monitoramento do Tempo e Clima de Mato Grosso do Sul (Centec), e representantes do Imasul e da Polícia Militar Ambiental.

Texto: Sílvio de Andrade – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Fotos: Saul Schramm

Postado em: 19:05 | 11 setembro 2019
 
É permitida a reprodução ou divulgação, em outros órgãos de comunicação, de notícias ou artigos publicados nesta website, desde que expressamente citada a fonte, ficando aquele que desatender a esta determinação sujeito às sanções previstas na Lei nº 5.259/1967 (Lei de Imprensa) feed
Jovem Sul Comunicações LTDA | Rua Quinze, Nº 537 | Centro | CEP 79560-000 | Chapadão do Sul (MS)
(67) 3562-2500 (67) 9 9967-0034 | CNPJ 03.719.704/0001-07
Desenvolvido por: Mais Empresas | Angeli Comunicações